Dicas para aprender algumas Regras da Língua Portuguesa

Fádylla Fernanda quinta-feira, 24/11/2011 14

 

Para você que deseja aprender algumas dicas com relação as regras de português, de modo a beneficiar tanto em um curso técnico, graduação ou até mesmo em um concurso, aprenda alguns macetes básicos:

Oração Subordinada Adjetiva

Bom, oração subordinada adjetiva é denominada aquela que se encaixa na oração principal, funcionando como adjunto adnominal. As orações subordinadas adjetivas classificam-se em: explicativas e restritivas.

Após a conceituação desta oração, você provavelmente não deve ter entendido muita coisa, e se entendeu… entendeu pouco sobre esse assunto, então a dica para classificar essas orações são:

=> As frases podem ser classificadas em oração subordinada adjetiva restritiva ou oração subordinada adjetiva explicativa. Não fique assustado, o nome é grande, chato, parece ser impossível saber, mas não é!

O modo de classificar é o seguinte:

Exemplo:

Os jogadores de futebol, que são iniciantes, não recebem salários.

Essa frase é classificada em: Oração subordinada adjetiva explicativa, e a leitura básica de português afirma ser essa classificação, devido ao motivo que a frase acrescenta uma qualidade acessória ao antecedente. De modo geral e simples, o macete para saber essa classificação são as vírgulas , ou seja, se a frase tiver vírgula, então é classificada em Oração subordinada adjetiva explicativa,..

Outro Exemplo:

Os artistas que declaram seu voto foram criticados.

Já essa frase é classificada em: Oração subordinada adjetiva restritiva e a leitura básica de português afirma que a frase restringe o significado do antecedente. Assim, o macete para saber essa classificação, é que a frase não contém vírgulas, ou seja, se a frase não tiver vírgula, então é classificada em Oração subordinada adjetiva restritiva,.. 

E saiba… na hora de estudar português acredito que muitas pessoas como eu, devem não gostar muito de todas aquelas regras e a príncipio já devem pensar que são difíceis e impossíveis de aprender. Então esses macetes simples e básicos se tornam fundamentais para ajudar os iniciantes a pelo menos saber identificar um e outro, porque muitas vezes a leitura se torna muito complexa, o que dificulta o aprendizado do aluno.

Oração Subordinada Substantiva

As Orações Subordinadas Substantivas são aquelas que exercem sentido dentro dos substantivos, e podem ser classificadas em:

1. Oração Subordinada Substantiva Subjetiva – OSSS;
2. Oração Subordinada Substantiva Objetiva Direta – OSSOD;
3. Oração Subordinadas Substantiva Predicativa – OSSP;
4. Oração Subordinada Substantiva Completiva Nominal – OSSCN;
5. Oração Subordinada Substantiva Objetiva Indireta – OSSOI;
6. Oração Subordinada Substantiva Apositiva – OSSA.

Depois dessas classificações, você já deve estar pensando… DIFÍCIL… Bom, o segredo é simples e me ajudou a compreender melhor as classificações, pois na leitura em si de português, mesmo estudando eu ainda apresentava dificuldades, então as dicas são as seguintes:

- Para classificar as orações:

 

Oração Subordinada Substantiva Subjetiva:

 

Oração Subordinada Substantiva Subjetiva: as regras de português diz que essa classificação é aquela que exerce função dentro do sujeito do verbo da oração principal.

Mas de forma simples, essa classificação é aquela em que a frase começa com verbos de ligação (É, seria, foi, permanece, continua, anda, está) ou quando fala do sujeito, mas esse sujeito não aparece na oração principal.

Exemplo:

É necessário que prestemos atenção.

[É necessário] [que prestemos atenção.]
=> Oração principal Oração subordinada substantiva subjetiva

OBS: É => verbo de ligação no início da frase, nesse ponto a classificação já indica que é Subjetiva. E outro detalhe é a Oração principal que é o inicio da frase , o restante da frase é a Oração subordinada substantiva subjetiva, da palavra que … em diante… sempre…

 Oração Subordinada Substantiva Objetiva Direta: é aquela que exerce função de objeto direto.

Exemplo:

Desejo que todos venham.

[Desejo] [que todos venham].
Quem deseja, deseja alguma coisa, então…

[Desejo] o quê? [que todos venham].
Quando der pra perguntar, o quê? Geralmente é Oração subordinada substantiva Objetiva Direta.

OBS: este tipo de classificação não possui preposição (geralmente o => De, embora tenha outras preposições) e não possui verbos de ligação.

Então a classificação fica assim:

[Desejo] o quê? [que todos venham].
=>Oração Subordinada Substantiva Objetiva Direta.

Lembrando que, da palavra => QUE, em diante, é a Oração Subordinada Substantiva Objetiva Direta, sempre….

Outros exemplos:

Frase: A menina quis que eu comprasse sorvete

A menina quis, o quê? [que eu comprasse sorvete].

=> que eu comprasse sorvete => é a oração subordinada substantiva objetiva direta.

 Oração Subordinada Substantiva Predicativa:

Oração Subordinada Substantiva Predicativa: é aquela que exerce função de predicativo.

Exemplo:

Frase: Meu segredo “era” que me dessem uma camisa.

O macete está nos detalhes, reparem que no meio da frase tem um verbo de ligação => ERA.

Então, a classificação é assim:

[Meu segredo “ERA”] [que me dessem uma camisa].
                                         => Oração Subordinada Substantiva Predicativa.

A classificação dessa oração é depois da palavra => QUE, e para ser oração subordinada substantiva predicativa, basta ter um verbo de ligação (É, seria, foi, permanece, continua, anda, está) no meio da frase. Assim, após este verbo de ligação todo o restante da frase é oração subordinada substantiva predicativa… 

Outro exemplo:

Frase: Minha perspectiva “é” que você aprendeu.

Minha perspectiva é => verbo de ligação (VL) [que você aprendeu].

Assim, o É => verbo de ligação está no meio da frase, então… que você aprendeu é a oração subordina substantiva predicativa.

 

Oração Subordinada Substantiva Completiva Nominal.

 

Oração Subordinada Substantiva Completiva Nominal: é aquela que exerce função de complemento nominal (nome) de uma oração principal.

O macete desta classificação é mais simples ainda, por exemplo: basta observar se a frase tem preposição (DE), se tiver o De na frase, basta olhar na palavra que vem antes do DE, se for um nome é oração subordinada substantiva completiva nominal, se a palavra que vier antes do De, não for um nome e sim um verbo, então a classificação é oração subordinada substantiva objetiva indireta, como será visto mais adiante.

Mas voltando a classificação da Completiva Nominal.

Veja o Exemplo:

Frase: Tenho consciência de que agi certa.

Tenho consciência de que agi certa=> a palavra antes do de é consciência… e é um nome….

[Tenho consciência] [de que agi certa].
=>Oração subordinada substantiva completiva nominal.

Lembrando que antes do De, a palavra é um nome e não um verbo e da palavra DE em diante, todo o restante da frase é oração subordinada substantiva completiva nominal.

 

 Oração Subordinada Substantiva Objetiva Indireta.

 

Oração Subordinada Substantiva Objetiva Indireta: é aquela que exerce função de um objeto indireto.

Apenas com essa classificação eu não conseguia responder as questões, mas o segredo é o DE e o Verbo.

Por exemplo:

Frase: Não se esqueça de que a prova exige atenção.

Não se esqueça “de” que a prova exige atenção.

Antes da palavra de, tem a palavra esqueça, que é um verbo… Então esta frase é oração subordinada substantiva objetiva indireta, a partir da palavra de em diante…

Não se esqueça [de que a prova exige atenção].
=> Oração subordinada substantiva objetiva indireta.

 

 Oração Subordinada Substantiva Apositiva.

 

Oração Subordinada Substantiva Apositiva: é aquela que exerce função de aposto.

Exemplo:

Frase: Desejo-te alguma coisa: que sejas muito feliz.

O segredo ai, são os dois pontos (:) no meio da frase, ou seja, tem dois pontos a frase, então… a partir destes dois pontos, é oração subordinada substantiva apositiva.

Desejo-te alguma coisa: [que sejas muito feliz].
=> Oração subordinada substantiva apositiva.

Bom, com essas dicas espero ter ajudado, pois se vocês observarem…. As regras nos livros de português são complexas e de difícil entendimento.

Caso tenham dúvidas a Respeito do Assunto, Comente e eu Responderei!

Até a próxima!!! :)

Este post foi útil? Retribua clicando no botão


14 comentários »

  1. Ana Clara sábado, 24/03/2012 em 20:04 - Reply

    Olá, você me ajudou a entender mais as orações, mas como eu vou saber diferenciar as orações subordinadas adjetivas explicativas das orações subordinadas substantivas apositivas ?

    • Lucas C. Ferreira segunda-feira, 23/07/2012 em 02:54 - Reply

      Olá Ana, infelizmente estou estudando esse ‘negócio chato’ na oitava série, e até que eu entendo um pouco…
      Vamos lá:

      Toda or. subord. adj. pode ser substituida por um adjetivo.
      Ex:
      “Admiro os alunos, que estudam.”
      “Admiro os alunos, estudiosos.”

      Toda or. subord. subst. apositiva vem depois de dois pontos (:).
      Ex: “Desejo uma coisa: que sejás feliz.”

      Precisando de ajuda: lcfuberaba@live.com

  2. JULIANA quarta-feira, 04/04/2012 em 00:32 - Reply

    PRECISO URGENTE APRENDER A ESCREVER E FALAR CORRETAMENTE.

  3. Ana Clara Silva quinta-feira, 12/04/2012 em 21:53 - Reply

    Olha com toda sinceridade, me ajudoooou muuito, uma sorte eu ter encontrado esse site, mt mt Obrigado mesmo, !!! <3

  4. josenilde martins de andrade santana segunda-feira, 21/05/2012 em 23:28 - Reply

    dicas otimas,esclareceu várias dúvidas,que continue madando exemplos e dicas claramente.obrigado

  5. Tyfanny quinta-feira, 24/05/2012 em 17:33 - Reply

    Amei , tinha uma prova amanhã pois consegui intender toda a materia que estava com dificuldade , espero que você possa sempre estar atualizando o seu site

  6. marcilene sexta-feira, 25/05/2012 em 10:24 - Reply

    obrigado sou professora e me ajudou muito a ministrar minhas aulas. Marcilene

  7. Karla quarta-feira, 29/08/2012 em 18:07 - Reply

    EXCELENTE!!! Simples e direto!!
    Parabéns!!

  8. Alice domingo, 04/11/2012 em 21:47 - Reply

    Olá, já conhecia essas observações e gostei de ver que elas estão sendo divulgadas em vários sites, pois muitas vezes as explicações divulgadas na net deixam a desejar e complica mais do que explica. Só não gostei de chamarem essas observações de “MACETES”. Não as considero MACETES, visto que são observações baseadas na própria estrutura da língua portuguesa (exemplo há preposição entre o objeto direto e o verbo e entre o nome e o complemento nominal, etc). Aí nós voltamos aquilo que os professores falam nas aulas é preciso relembrar a função desses termos para fazer a classificação. Se vc souber que o objeto direto é aquele termo ligado a um verbo TRANSIVO sem o uso da preposição, então é lógico que não poderá haver preposição entre o verbo e a oração subordinada.

  9. rzrquias sousa silva terça-feira, 25/12/2012 em 21:24 - Reply

    rapaz gostei demais precisamos a cada dia de mais pessoas como vc, obg.

  10. karoline quarta-feira, 09/04/2014 em 16:31 - Reply

    Parabéns!! Seu resumo me ajudou mt

  11. Joyce sexta-feira, 09/05/2014 em 01:01 - Reply

    1 mês tentando aprender com a professora, chego aqui e aprendo 5 minutos, você é ótima. Obrigada mesmo! Bjuss querida, tudo de bom pra você.

  12. Stella segunda-feira, 02/06/2014 em 20:31 - Reply

    quando nao tem sujeito é OSS subjetiva?

Opine também » Coloque sua foto no comentário